11ª Sessão – Prisioneiros

♠ 6 de agosto de 1650 – missão/prisão

Ao amanhecer, ouvem barulho de cavalos do lado de fora. Trata-se de uma tropa do exército castellano. O capitão castellano, Aguirre, conhece Rodrigo Salazar da época da unificação e diz odiar Fernão. Ao reconhecer Salazar, prende todo mundo, confisca o ouro, as armas (incluindo o mosquete duplo de Rocha e machado trabalhado de Kunta) e até mesmo as botas e os coletes.

Os capitães e o jesuíta, Padre Alcântara, são levados pelo Capitão Aguirre até Ciudad Real, junto com o ouro. O resto é deixado numa prisão na vila mais próxima. Alguns conseguiram, pelo menos, esconder uma faca.

Domingues faz “Criar Doenças” em Aguirre, mas ele resiste à magia, o que Domingues desconhece.

Os homens são colocados em celas diferentes das mulheres. Kunta e Ocaã, um carregador indígena que não se recusou a entrar na caverna, são presos juntos com outro índio, forte e calado.

Tiza e Aruana são presas junto com uma mestiça e uma mulata (Nahuapy e Naomí), duas jovens da região que foram presas roubando na feira.

As mulheres conseguem distrair os guardas e causar uma confusão. Rocha entrega sua faca escondida a Paulo, que abre a porta da cela.

Kunta usa seus poderes para abrir sua cela. Para a sua surpresa, o índio a seu lado se transforma em um grande urso e demonstra estar do lado dele. Trata-se de um Ucumari, filho de uma índia com um urso.

Na fuga, recuperam algumas armas e algumas botas, tudo roubado dos guardas. Um bandeirante morre na fuga. Agora são menos de 20, mesmo incluindo os capitães.

Eles fogem para as montanhas. O Ucumari logo se separa deles.

A fuga foi à noite. Eles conseguem se esconder e a tropa passa direto. Há uma casa perto. Naomí e Nahuapy, as únicas que falam castellano, decidem pedir abrigo.

São atendidas por uma estranha velhinha. Naomí se enrola, chegando a dizer que o grupo, avistado pela velha, são seus filhos.

A velha aceita abriga-los, desde que depois eles façam algo por ela. Sem muito tempo para decidir, aceitam.

A velha é hospitaleira e lhes dá comida e cobertas, afinal, faz um frio do cão. A velha conta que tem muitos filhos, e sabe que um deles, que mora em San José, está em perigo, perseguido pelo Chulla Chaqui. Ela pede para que eles encontrem o seu filho e o avise do perigo.

Chulla Chaqui é um ser perigoso, um homem que usa um grande sombrero e uma camisa vermelha (essas são as únicas informações dadas pela velha). Mas também é manco, tem um pé de onça, é superforte e veloz, além de regenerar o dano recebido. Ele sempre surge nas vilas com o objetivo de levar uma determinada pessoa.

The URI to TrackBack this entry is: https://cheibub.wordpress.com/2016/03/10/11a-sessao-prisioneiros/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. […] 11ª Sessão – Prisioneiros […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: