6ª Sessão – Luz em meio às sombras

♦ 6 de abril de 1652 – Junín

Ao acordar, Nahuapy faz “Adivinhação” para saber de Hernandez e vê uma cidade borrada.

[Nota do Mestre: o grupo abusava bastante da “Adivinhação”, de forma que eu tive de estipular apenas uma tentativa por dia para o mesmo tema.]

Rocha decide ir à vila falar com os índios e leva Ccori, Aruana e Nahuapy. Eles primeiro passam perto da casa do índio misterioso. Eles os vê, mas não é visto.

Na cidade dos índios, Ccori procura informações sobre ele. Fica sabendo que é perigoso perguntar e que ela deve ir embora. Rocha e os outros insistem e recebem a mesma resposta: eles se meteram onde não deviam.

Eles chegam em casa depois do almoço e marcham todos para o pequeno templo nas montanhas. Naomi faz “Aura” e vê que o lugar é bom.

Eles decidem bater na casa do índio. Nahuapy vai na frente em forma de falcão. Ela vê o índio sair com duas sacolas e seguir em direção sudeste, afastando-se da vila e de Junín. Resolve segui-lo.

Depois de perceber que o índio não pretende voltar, ela volta para avisar ao grupo. Ayla se transforma em falcão para ajudar na perseguição. Enquanto Nahuapy segue o índio, Ayla indica o caminho.

Porém, uma hora e meia de caminhada os fastam. O índio percebe que o falcão continua a sobrevoá-lo. Tenta controlá-lo, mas, curiosamente, não consegue. Chega à conclusão que deve ser um feiticeiro. Decide parar para comer.

Nahuapy pousa no alto de uma colina. Ele faz sinal pra ela descer. Ela se faz de desentendida e ele sobe. O índio diz pra ela se destransformar e avisa que, se quisesse lhe fazer algum mal, já teria feito.

Nahuapy confia no índio e se destransforma. Ele lhe dá um roupão e alguns pontos de “Cura”. Ele fala que não representa mais perigo e, depois de ler a aura de Nahuapy, diz ter certeza das boas intenções do grupo. Conta que Hernandez desapareceu, que nem ele nem “a sombra” sabem onde ele está. Pede pra eles largarem as adagas dele em algum canto para não darem pretexto pra ele os perseguir. E aconselha a não mais se envolverem.

Percebendo que isso não seria possível, o índio tenta ajudar Nahuapy na busca por Hernandez. Numa “Adivinhação” conjunta, ele vê a cidade borrada. Sabendo o possível destino do grupo, ele dá um pequeno cordão a Nahuapy e parte com o vento.

Nahuapy aguarda a chegada do grupo. Quando ela diz para deixarem o índio ir em paz, muitos ficam revoltados com ela. Nahuapy avisa que eles têm de ir pro Vale Sagrado.

Nahuapy se recusa a continuar e volta para casa. Ayla, Ccori, Maurice, Pierre e Tereza voltam com ela.

Os outros caminham pelas montanhas sem nada encontrar. Na volta, são atacados pela “sombra”. Aruana é acertada e cai, mas o contra-ataque é mortal e “a sombra” é morta.

Eles chegam em casa às 4h da manhã.

[N. do M.: como já foi revelado, “a sombra” se chama Nacaj. Mas o grupo nunca ficou sabendo. E a denominação “a sombra” ficou tão marcada, mesmo em conversas futuras, que assim mantive em minhas anotações. O índio é um Sacerdote do Sol. A antiga religião dos illimanis tem seu culto proibido no Vice-Reino. Além de servir para manter as tradições, sua celebração é um ato de rebeldia. Por isso seus sacerdotes recebem proteção cerrada das comunidades illimanis. Portanto, a abordagem desastrada do grupo no final de fevereiro a um líder de culto despertou a desconfiança dos sacerdotes e Nacaj foi acionado. Não me lembro das razões da captura de Ccori. Certamente não foi para matá-la, ou ela teria sido tirada de casa já morta. Talvez fosse para um interrogatório. O evento com a caixa da comunidade alertou o sacerdote para a possibilidade de ter interpretado mal as ações do grupo. De qualquer forma, já se sentia por demais exposto em Junín e decidiu partir. Nacaj não mais atacaria por determinação dele, mas isso não o impediria de ter sua própria agenda, nem que fosse recuperar suas adagas. Quanto a Hernandez, não me recordo as circunstâncias de seu desaparecimento, apenas que se encontrava em um labirinto de cavernas subterrâneas. Provavelmente, para tentar salvar Nahuapy, atraiu Nacaj para outra direção, mas acabou caindo em buraco que dava nessa rede de cavernas. Sem poder escalar de volta, tentou achar uma saída. Só lembro que era conveniente subtrair Hernandez por um tempo do convívio do grupo devido a seu poder, que, mais tarde, seria muito útil e necessário.]

♦ 7 de abril – Junín

Rocha conta que eles mataram “a sombra”, e diz que também quer ir ao Vale Sagrado. Eles fazem os preparativos e decidem ficar alguns dias para descansar.

♦ 8 e 9 de abril – Junín

Dias de descanso.

♦ 10 de abril – viagem

Partem de Junín rumo ao Vale Sagrado. Acampam nas montanhas.

♦ 11 de abril – Huaylasjirca

No final do dia, chegam a uma pequena vila, Huaylasjirca. Passam a noite numa estalagem.

♦ 12 de abril – Huaylasjirca

Ao cruzarem a praça para irem embora, Aruana cai acometida de uma estranha doença. Um casal de alemães os ajuda e leva Aruana para a casa deles.

No quarto, só Aruana, o casal (Olga e Heinz) e Naomi. Naomi percebe que eles usam alguma magia para curá-la.

Enquanto esperam Aruana se restabelecer por completo, Olga conta dos espíritos malignos da praça. Rocha sai para falar com o padre. Maurice resolve praticar seu alemão com Heinz. Tendresse percebe que Olga pode ajudá-la e decide se “confessar” com ela.

Rocha conta sobre Aruana e o padre, preocupado, decide vê-la. A conversa de Tendresse é interrompida com a vinda do padre. O casal se mostra desesperado e diz que o padre não pode saber sobre Aruana.

Acabam convencendo o padre que foi um engano e que a doença de Aruana era outra.

Tendresse e Olga têm uma longa conversa, na qual Olga revela que são protestantes e Tendresse decide se converter à nova religião.

[N. do M.: há registro de luteranos no Brasil no século XVI, ainda que não tenham se fixado. Portanto, não chega a ser muito forçado imaginar protestantes no coração católico da colônia. A inclusão teve unicamente a finalidade de dar um rumo a Tendresse, que acabou largando a batina devido ao comprometimento da jogadora, Isabela de Castro, à interpretação. Entretanto, era notório o incômodo de não poder mais usar os poderes de um jesuíta. Assim, resolvi abrir uma porta de regresso ao mundo espiritual, onde o sexo e o matrimônio não precisavam ser empecilhos (ao menos nos dias de hoje, não sei como era na época). Tive de criar uma nova classe religiosa da noite pro dia. Acredito que estabeleci penalidades ou no custo ou na dificuldade nesse processo de recuperação da fé sacerdotal.]

 À noite, eles vão pra praça. Logo Rocha cai doente e é levado para os alemães curarem. Nahuapy faz “Visão Astral” e vê que são muitos espíritos. Eles decidem fugir e se prepararem melhor. Voltam para a estalagem.

♦ 13 e 14 de abril – Huaylasjirca

Dias de descanso. Tendresse fica o tempo todo com Olga.

♦ 15 de abril – Huaylasjirca

À noite, Naomi e Nahuapy fazem “Viagem Astral”, enquanto Ayla sustenta uma forma astral para Rocha.

Os três partem para a luta, com Rocha usando sua espada astral. Enquanto isso, Tendresse tenta colocar à prova a sua fé. Ajoelha-se na praça e tenta fazer exorcismo.

Nahuapy é a primeira a perder o “poder mágico”, depois Naomi e, por fim, Ayla. Tendresse consegue exorcizar alguns, mas ainda restam 7. Com a ajuda dos protestantes, Tendresse usa de sua própria “Resistência” para exorcizar mais 6. Ayla usa o resto de seu “poder mágico” para enviar Aruana, que acaba com o último.

Exaustos, eles desabam na estalagem.

[N. do M.: ainda bem que na época seguia o mapa fictício do livro, pois, no Peru real, Huaylasjirca (que existe) fica na direção contrária ao Vale Sagrado, localizando-se ao norte de Junín (que também existe, assim como o lago). A lenda dos espíritos é específica da cidade.]

FIM DO CAPITULO 1

Anúncios

The URI to TrackBack this entry is: https://cheibub.wordpress.com/2016/03/31/6a-sessao-luz-em-meio-as-sombras/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. […] 6ª Sessão – Luz em meio às sombras […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: