38ª Sessão – A Última Sessão de Bandeirantes

Anotações preliminares:

Fortaleza de Cuélap: 700 em treinamento com Hernandez, Ccori, Tereza, Pablo, Maurice, Ximena, Gabi, Huanuco, Ollantay, Quippu, Coco, Pedro Kalu, José Negro, Mano, Juan Puma, Rodrigo, Mário, Jorge, Fio, Aguilera, Marco, Qosmo, Quenco, Cusi, Giba, Luiz Quiñonez, Raulzito, José, Mano Negra.

Centro: perda total. Sobra Ayla.

Sul: 650 acampados no planato desértico.

Costa: 115 acampados em Paracas.

Ayacucho: tomada de Ayacucho e Abancay. Morreram 520 homens, restaram 121. Juntaram-se ao grupo 1220 índios e mestiços.

Vale Sagrado: tomada de Vilcabamba e Ollantaytambo. Morreram 140 e restaram 491. Juntaram-se ao grupo 750.

Floresta: 559 em treinamento com Tendresse, El Viejo e Pedro Velho.

Cerro de Pasco: 6274 homens, sendo 6000 em treinamento com Rocha, Paulo, Nahuapy, Naomi (4 feiticeiros), Tito, Gru, Antônio Juarez, Duran, Alcazar, Gomez, Navalha, Lopes, Manco, Pepe, Pedro, Juan, Miguel, Juanito, Mattos e Richard.

Montanhas nevadas: Amaro e Chuquichuchay.

Morte: Guestia ou Huaychau.

Usar: Ucumari, Vampiros e Chavín.

Itens mágicos: Boleadeira de Mama Guaco, Funda de Ayar Cachi e Titi.

General atrás dos irmãos.

5 meses para chegarem reforços da Metrópole.

[Nota do Mestre: nenhum dos itens foi encontrado. Os outros locais e personagens também não. Era apenas uma possibilidade conforme o andamento da sessão. Pela localização de Tendresse, acredito que a jogadora não tenha conseguido imaginá-la atuando na linha de frente e passado a jogar com NPCs.]

♦ 3 a 5 de janeiro de 1655

Organizam um grupo para levar prata à Floresta, um grupo de 50 homens liderados por Pedro e Juan.

Duas milícias pelas montanhas, 10 de cada. 4 postos de observação com 2 sentinelas. Dois feiticeiros pra ronda aérea. Barricada ao redor da cidade.

♦ 6 de janeiro a 6 de fevereiro

Castellanos acampam aos pés da cordilheira.

Cerco em Ollantaytambo.

Ataques pequenos e contantes a Ayacucho.

♦ 7 de fevereiro a 7 de março

General chega no acampamento militar.

Ayacucho caiu. Há uma tropa indo a Junín.

Kalunga tocaia o general.

Ayla e Nahuapy vão a Junín envenenar a comida da Guarda.

[N. do M.: o General em questão é o pai, tio ou avô de Ilya.]

♦ 8 de março a 8 de abril.

Ayla e Nahuapy envenenam o acampamento e matam 50 militares.

♦ 9 de abril a 9 de março

Chegaram reforços do sul.

Chegam os índios Iquichanos. Ayla reconhece Huaro, o feiticeiro.

Kalunga e Ilya são presos. Kalunga é levado à Inquisição, em Alcazar, e tem os olhos queimados. Ilya é estuprada pelos soldados e mantida cativa no acampamento militar. Rocha sobrevoa a área.

♦ 10 de março

Rocha sai atrás de sinais de Pierre e Armand.

FIM DA CAMPANHA

Nota do Mestre: apesar das anotações não darem essa impressão, o foco principal desta última sessão foram os irmãos feiticeiras, sua captura e o seu destino cruel. Acredito que Ayla tenha presenciado, metamorfoseada, o que aconteceu com Kalunga e voou para avisar aos outros. A sessão seguinte seria provavelmente a elaboração de um plano para libertar os irmãos. Não sabíamos contudo, que seria a última, até porque todos saíram satisfeitos e empolgados para continuar (e não deixar os irmãos em circunstâncias tão difíceis).

O hiato entre esta última e a sessão anterior talvez tenha sido o maior período sem jogar desde o início da campanha em abril ou maio de 1994. Provavelmente ocorrida em 2001. Foram 7 anos de campanha, quase 4 anos de aventuras no jogo (maio de 1651 a março de 1655), 73 sessões de jogo. A campanha foi descontinuada por motivos extra-campo.

Eu mesmo estava indeciso quanto ao rumo que daria a esta insurreição. Estava em meu poder fazê-la fracassar ou fazê-los triunfarem. Até então, procurei seguir uma linha neutra, mas que se mostrava por demais demorada e tediosa para todos. Em termos dramáticos, o mais interessante (e historicamente mais correto) era o fracasso, algo semelhante ao sonho/visão no Deserto de Nazca.

Cheguei a pensar, após o desenlace desse conflito familiar entre os irmãos e seu perseguidor, em fazer um salto pra frente, com Vida, Luna e os gêmeos de Aruana. Ayla e Maurice teriam partido com as crianças para um lugar seguro, distante da guerra, em terras lusitanas, provavelmente Belém. Ayla teria voltado para a guerra e para avisar o local onde as crianças estavam, mas não conseguiu encontrar mais ninguém. A guerra haveria acabado. O grupo, desaparecido. Ela avisa a Maurice e passa a se dedicar a encontrar algum sobrevivente ou notícias a respeito. Ou algo nessa linha. A ideia de uma “nova geração” permaneceu viva por alguns anos, mesmo após ter desistido em dar continuidade à campanha.

Sinto como se tivesse sido nosso Abbey Road, como se tivéssemos nos reunido só aquela vez mais pra terminarmos por cima. Um ou dois anos depois, o jogador que fazia Kalunga, Rafael, lamentava não ter continuado a aventura, pois havia gostado muito da última sessão. Mas quem mais se ressentiu do fim da campanha foi a intérprete de Nahuapy, Juliana Terán, que sempre insistiu para que eu voltasse a mestrar. O que acabou ocorrendo, graças a sua insistência, uns 7 ou 8 anos depois. Mas isso já é outro grupo, outra história…

The URI to TrackBack this entry is: https://cheibub.wordpress.com/2016/04/10/38a-sessao-a-ultima-sessao-de-bandeirantes/trackback/

RSS feed for comments on this post.

2 ComentáriosDeixe um comentário

  1. […] 38ª Sessão – A Última Sessão de Bandeirantes […]

  2. […] 38ª Sessão – A Última Sessão de Bandeirantes […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: