OS CARMELITAS

A Ordem do Carmo foi fundada em fins do século XI no Levante. Os primeiros Mercedários seguiam o estilo de vida do profeta Elias, que levou uma vida eremítica de oração e silêncio em uma gruta no Monte Carmelo. A partir de Jerusalém, migraram para o ocidente fugindo dos Sarracenos.

Chegaram à colônia em 1580, permanecendo em Olinda. Depois seguiram para a capital e para as capitanias de São Vicente e São Sebastião. No século XVII, chegaram ao Norte, onde estabeleceram uma forte atividade missionária.

Em 1640, a Ordem chegou a estabelecer a sua Província na colônia, mas, devido a pressões da Coroa, voltou atrás e criou três Vice-Província: uma abrangendo as capitanias de Pernambuco e Bahia de Todos os Santos; outra abrangendo as capitanias do sul, com sede em São Sebastião; e a terceira na Província do Grão-Pará.

Na região dos Bandeirantes, possuem conventos em Piratininga, Vila de Todos os Santos, Vila de Sant’Ana de Mogimirim, São Sebastião, Vila da Ilha Grande e Vila do Espírito Santo.

Assim como os Franciscanos, os Carmelitas possuem diferentes ramos.

Carmelitas da Antiga Observância: é a ordem original dos carmelitas.

Ordem Terceira do Carmo: formada por membros leigos dos Carmelitas, aos quais encontram-se sempre ligados em comunhão espiritual.

Ordem dos Carmelitas Descalços: ordem criada em 1560 pela freira Santa Teresa de Ávila, mas oficializada apenas em 1593.  Oriunda de uma reforma da ordem semelhante àquela feita pelos Capuchinhos, tornou-se bastante forte no Reino de Portugal. Os Carmelitas Descalças, frades e freiras, dedicam-se a seguir o caminho da perfeição. Mas, ao contrário dos frades Descalços, as Carmelitas não vieram para a colônia.

Para os Carmelitas Descalços, cada dia é marcado pelo silêncio, para que se possa atingir a profundidade adequada em cada oração. Pelo menos duas horas do dia ficam reservadas a uma oração silenciosa e ininterrupta. As comunidades devem ser pequenas para que a fraternidade e a partilha sejam genuínas. Ao contrário das freiras, os frades carmelitas não vivem em clausura. Ambos se dedicam a uma vida dedicada ao estudo e conhecimento da alma humana, desenvolvendo uma crescente sensibilidade pessoal e espiritual.

Assim como os Franciscanos Conventuais, os Carmelitas Descalços desenvolveram uma técnica de uso coletivo de Poder Divino. Seus encantos são sempre difusos, embora poderosos. Como são feitos em oração silenciosa, seus efeitos só são atingidos quando todos os integrantes entram em sintonia na oração, o que é mais fácil de ser alcançado em pequenas comunidades. Os frades, por manterem atividades apostólicas, conseguem realizar alguns encantos individuais.

Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares: os fundadores dos Carmelitas Descalços fundaram uma ordem para grupos leigos, a fim de que pudessem comungar dos mesmos bens espirituais dos frades e freiras.

Hábito: túnica de lã crua, sem ser tingida, de cor marrom escura, ajustada por um cinto de couro. O capuz e o escapulário completam a vestimenta básica. Por cima de tudo, veste-se uma capa de lã branca. O escapulário de Nossa Senhora do Carmo é composto por duas tiras de pano marrom atadas por uma corda, que os Carmelitas trazem no peito. Simboliza a devoção dos Carmelitas à Virgem Maria, que significa uma vida dedicada à oração e à prática da virtude. Entregue ao frade Simon Stock pela própria Nossa Senhora do Carmo, que apareceu-lhe em uma visão, o escapulário confere proteção especial da Virgem Maria em momentos especiais da vida, ou mesmo após a morte.

Cruz Carmelita: a cruz dos Carmelitas contém uma estrela em seu centro, que representa a Virgem Maria como símbolo da ternura com a qual a Ordem atua.

Anúncios
Published in: on 11 de janeiro de 2019 at 0:52  Deixe um comentário