Das Irmandades

As irmandades são grupos de leigos que se associam para promover trabalhos de caridade. Elas fazem as pessoas se sentirem mais ativamente responsáveis pela vida religiosa. A forma mais comum são as ordens terceiras das ordens religiosas.

Os membros das irmandades trabalham em benefício da comunidade, atuam para além da família. Contudo, podem ser discriminatórias. Algumas exigem alta contribuição financeira; outras exigem limpeza de sangue; ou serem ex-escravos.

Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos

Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos é uma confraria criada para abrigar os negros devotos, muitas vezes impedidos de frequentar as demais irmandades. Ela é composta por negros escravos e livres. Os enterros de muitos negros são garantidos pelo suporte da Irmandade.

A irmandade mais antiga é a de Olinda, surgida ainda no século XVI. Os escravos colhem as sementes de capim e montam terços para rezar. Em meados do século XVII, foi criada a irmandade em São Sebastião e Santo Antônio do Recife. Em 1685 foi a vez da capital da província.

A Irmandade fundada em São Sebastião não possui igreja própria, realizando suas atividades na igreja dos Jesuítas, no Morro do Castelo. A tendência é que a irmandade se estenda para a região mineira.

O Rei do Kongo

A Irmandade da Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos escolhe anualmente um rei negro, chamado de Rei do Kongo, em referência a um reino do Continente Negro, o primeiro daquele continente a adotar a religião cristã. Na festa anual dedicada à Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, o rei desfila em cortejo pela vila, seguido por músicos e dançarinos.

A tradição teve início na Capitania de Nova Lusitânia. Até os senhores de engenho emprestam joias e adereços para a festa. O rei negro é coroado pelo próprio vigário. As coreografias do cortejo procuram reproduzir as da terra natal.

Anúncios
Published in: on 11 de janeiro de 2019 at 0:56  Deixe um comentário