OS EUROPEUS

CASTELHANOS

Apesar de Castela ser apenas um dos reinos de Espanha, os Lusitanos se referem a todos os hispânicos como Castelhanos, independentemente de virem de Castela ou não. Mas, de fato, o reino é composto também por Catalães, Aragoneses, Valencianos, Galegos, Asturianos, Murcianos, Bascos, Navarros, Estremenhos, Cântabros e Riojanos.

Apesar das disputas de fronteira, particularmente na Colônia do Sacramento, a presença de comerciantes e navegadores castelhanos nos portos lusitanos tornou-se comum. Alguns até residem nestas cidades.

A espionagem é constante de lado a lado, mas a Igreja Católica une a todos. As ordens religiosas presentes dos dois lados são as mesmas, bem como sua obediência às decisões de Roma. Culturalmente, são povos muito assemelhados, sendo que os Castelhanos, principalmente os padres, consideram os Lusitanos pouco rigorosos e muito flexíveis na observância dos dogmas religiosos.

FRANCESES

Francês é o termo genérico para aqueles que pertencem ao Reino da França, formado também por Gauleses, Bretões, Burgúndios, Francos, Aquitanos e Normandos. A França foi o primeiro a questionar com veemência a divisão do Novo Mundo entre as Coroas Ibéricas, chegando a engendrar duas tentativas de estabelecer colônia em terras lusitanas. O projeto acabou sendo abandonado não só pela forte reação lusitana, mas também pelos intensos e sangrentos conflitos religiosos internos ocorridos no reino em fins do século XVI. No século XVII, os Franceses passaram a atuar na região como piratas. Os Franceses certamente deixaram muitos mestiços na colônia, mas estes já foram absorvidos pela cultura nativa.

NEERLANDESES

Das Terras Baixas, a República das Sete Províncias Unidas foi a região que mais se desenvolveu no século XVII. Antiga colônia hispânica formada por Batavos, Frísios, Holandeses e Groningueses, os Neerlandeses  infernizam os Castelhanos por meio da pirataria  Em relação aos Lusitanos, na época em que a metrópole lusitana ficou sob o domínio de Castela, os neerlandeses abandonaram as boas relações comerciais de outrora ao ocuparem Olinda e passarem a disputar as rotas comerciais do Oriente, bem como tomaram a maioria das feitorias lusitanas no Continente Negro. Em 1674, resistiram à invasão das forças unidas da Bretanha e da França.

Das posses castelhanas nas Terras Baixas,  Flandres e Valônia ainda estão sob o domínio do rei de Castela.

BRITÂNICOS

Quando Portugal ficou sob o domínio de Castela, os Britânicos defenderam os Lusitanos por serem inimigos dos Castelhanos. E assim a colônia sofreu vários ataques de corsários britânicos. Posteriormente, em 1662, uma princesa lusitana casou-se com o rei da Bretanha e tornou-se rainha daquele reino.

Os Britânicos começam a frequentar os entrepostos do Continente Negro para abastecer suas colônias de escravos. Em muitas ilhas do norte por eles dominadas, o modelo colonial lusitano é replicado com sucesso. Os laços comerciais e diplomáticos entre as Coroas britânica e lusitana permitem que comerciantes daquele reino transitem pela costa de Santa Cruz sem maiores incidentes. Além disso, os corsários britânicos causam muita dor de cabeça aos Castelhanos, de quem são rivais. Esse inimigo em comum une os dois povos.

OUTROS REINOS

Venezianos, Genoveses, Florentinos, Germânicos, Austríacos ou demais povos do Velho Mundo não são ilustres desconhecidos na colônia, ainda que de presença bastante incomum. Comerciantes, aventureiros, náufragos, viajantes, padres, várias são as razões para que europeus de outras terras desembarquem no Novo Mundo.

Published in: on 8 de janeiro de 2019 at 17:42  Deixe um comentário