HISTÓRIA DO IMPÉRIO DO SOL

Apesar de possuírem uma agricultura altamente desenvolvida, as tribos serranas permaneciam em guerra constante. O objetivo era a obtenção de novos campos de cultivo e controle da água, pois necessitavam satisfazer uma população cada vez mais crescente. Volta e meia um grupo se sobressaía, mas todos tinham tradições e armas semelhantes. O desequilíbrio surgiu quando os incas derrotaram os vizinhos chancas, um século antes da chegada dos castelhanos. Império do Sol é o nome dado no jogo, mas os incas chamavam o seu império de Tahuantinsuyo (Quatro Regiões Unidas).

A origem dos incas é tão envolta em mitos e lendas que é difícil precisar qual que mais se aproxima da verdade. Muitos padres e intelectuais castelhanos tentaram em vão traçar uma linha histórica segura. Quanto mais ao passado se caminha, mais fantástica e pouco provável a história se torna.

O Mito dos Irmãos Ayar

Quatro irmãos de origem sobrenatural e suas respectivas mulheres-irmãs surgiram às margens do Lago Titicaca, de onde iniciaram sua peregrinação, enviados pelo Deus Sol com o objetivo de criar um povoado e ensinar ao povo das cordilheiras seus preceitos e leis. Eram eles: Ayar Manco (também conhecido como Manco Cápac), Ayar Auca, Ayar Uchu e Ayar Cachi. Eram elas: Mama Ocllo, Mama Guaco, Mama Ipacura e Mama Raua. Manco trazia consigo um falcão de nome Inti, venerado por todos e que lhe dava conselhos e poder. O objetivo era caminharem até uma região onde pudessem fincar na terra uma barra de ouro, sem que para isso fosse necessário qualquer esforço. Esta terra seria Cusco, capital do Tahuantinsuyo. Todo o percurso demorou anos, pois às vezes permaneciam num local por muito tempo. E assim ia aumentando o número de índios que os acompanhavam.

Ayar Cachi, poderoso e valente, era muito hábil com sua funda mágica, capaz de abrir vales e rasgar montanhas. Preocupados com o seu crescente poder, seus irmãos convenceram-no a voltar para a caverna de onde partiram para buscar algumas sementes especiais. Com ele foi o índio Tambochacay, instruído pelos irmãos Ayar para encerrar Cachi na caverna assim que nela entrasse. Como não estava com sua funda na ocasião, não conseguiu sair da armadilha. Porém, amaldiçoou Tambochacay, que acabou se transformando numa estátua de pedra. Desta forma, ninguém jamais soube como Tambochacay conseguiu que Cachi entrasse na caverna sem sua funda e onde ela se encontrava, perdida para sempre.

Manco se tornou o chefe dos incas e Ayar Uchu, o líder religioso. Enquanto efetuavam uma de suas longas paradas, Ayar Auca decidiu prosseguir. Acreditando ter encontrado a terra sagrada, voou até o lugar (de difícil acesso), mas foi transformado em pedra assim que tocou o solo mágico da montanha cuja localização é até hoje desconhecida.

Numa difícil passagem durante a viagem, Ayar Uchu ficou preso num deslizamento de pedras e não foi possível salvá-lo. Para preservar sua memória, foi erguido um templo no local, o Huanacauri. Mais tarde, finalmente encontram a terra sagrada. Uma série de lutas se seguiu contra os povoados locais. Mama Guaco se destacou nestes conflitos como uma feroz guerreira, brandindo sua temível boleadeira.

Manco Cápac fundou Cusco, se tornando o primeiro Inca, supostamente em 1200 d.C. Casou-se com sua irmã Mama Ocllo. Seu falcão, Inti, foi herdado por seus sucessores até Inca Yupanqui.

Sinchi Roca

Filho de Manco, iniciou seu governo em 1230, limitado à região de Cusco. Nasceu durante a peregrinação dos irmãos Ayar.

Lloque Yupanqui

Começou seu governo em 1260. Conquistou alguns territórios vizinhos, mas nada significativo.

Mayta Cápac

Segundo as lendas, nasceu com três meses de gestação. Limitou-se a manter o que os incas haviam conquistado até então.

Cápac Yupanqui

Começou seu governo em 1320. Foi o primeiro a sair dos limites cusquenhos, conquistando terras um pouco mais afastadas.

Inca Roca

Começou seu governo em 1350. A partir de Inca Roca é que os chefes incas passam a se destacar do resto da família. Cusco cresce e é desenvolvido o sistema de água encanada. Ocorrem várias conquistas vizinhas.

Yahuar Huaca

Tornou-se Inca em 1380. Seu nome significa “Chora Sangue”, pois, quando foi raptado na infância, seus olhos derramaram gotas de sangue. Acabou se casando com a filha de seus raptores. Conquistou alguns povoados e enfrentou rebeliões internas.

Hatun Topa

Tornou-se Inca em 1410. Acabou com todas as revoltas. Foi o primeiro Inca a ter ambições imperialistas. Na decisiva guerra contra os chancas, que definiu o destino dos povos serranos, não conseguiu evitar, devido à idade, que seus inimigos invadissem Cusco. Teve que abdicar.

Inca Yupanqui

O mais importante inca depois de Manco Cápac. Fundou o Tahuantinsuyo. Tornou-se Inca em 1438. Quando seu pai, Hatun Topa, abandonou Cusco, Yupanqui decidiu ficar para defendê-la. Acabou expulsando os invasores. Depois, persegue e derrota os chancas com a ajuda sobrenatural dos Pururaucas. Seu pai tinha abdicado em nome de seu irmão Urco, mas Yupanqui toma o poder com o apoio do exército e passa a se chamar Pachacuti, o Transformador do Mundo. Ao sul, dominou os aymarás. Com o filho Topa Inca, subjugou todas as tribos serranas até o Equador. Organizou uma expedição marítima onde descobriu ilhas com muito ouro e habitada por negros. Topa Inca, que chefiou a expedição, foi acompanhado por Antarqui, um grande bruxo que diziam ter a capacidade de voar. A viagem durou quase um ano, com mais de 20 mil soldados em balsas. Retornando a Cusco, conquistou o reino Chimou.

Topa Inca

Tornou-se Inca em 1471. Conquistou quase toda a cordilheira oriental e algumas áreas da terra dos Araucos (e também tiveram problemas com eles). Aprofundou a organização imperial criada por seu pai. Organizou expedições à selva.

Huayna Cápac

Tornou-se Inca em 1493. Viu-se às voltas com inúmeras revoltas. Conseguiu manter o Império através de sangrentos castigos. Mandou degolar 15 mil índios que se recusaram a depor sua rebeldia, mesmo depois de vencidos. Consolidou algumas conquistas no extremo norte do Império. Na cordilheira oriental, as fronteiras foram ameaçadas por um ataque de índios de origem Maoári, acompanhados por alguns castelhanos vindos do sul (que ignoravam as ações dos conquistadores castelhanos que chegavam pelo norte e desconheciam a verdadeira riqueza da região), mas foram abatidos pelas forças imperiais. Morreu em 1525, possivelmente de varíola. Durante o seu governo, desagradou a elite sacerdotal de Cusco ao se ausentar por muito tempo da cidade sagrada. Este fato foi importante para a guerra que se seguiu.

Huáscar x Atahuallpa

A luta pelo poder durou até as vésperas da conquista. Huayna deixou vários filhos, mas apenas estes dois disputaram o trono. Huáscar era o encarregado do governo em Cusco enquanto seu pai viajava com Atahuallpa. Antes de morrer, escolheu Ninan Cuyuch como seu herdeiro. Mas Cuyuch morreu da mesma doença que o pai antes de receber a notícia. Então, Huáscar se tornou Inca em Cusco, enquanto Atahuallpa reivindicava o trono através do prestígio que tinha entre os militares. Atahuallpa ganhou a luta, matou a família de Huáscar e o prendeu. Enquanto viajava para Cajamarca para se tornar Inca, foi capturado pelos castelhanos. Da prisão, mandou matar Huáscar.

Published in: on 12 de março de 2010 at 0:57  Comments (3)