LUGARES MÍTICOS

Candelabro de Nasca

Região: Nasca.

Descrição: no mesmo estilo dos desenhos de Nasca, se trata de um gigantesco candelabro de 200m de comprimento desenhado numa colina que se precipita ao mar. É claramente visível a uma distância de 20 km mar adentro. Em determinadas noites, o candelabro fica incandescente.

Cavernas

Região: diversas.

Descrição: existe a lenda, entre os incas, sobre um extenso caminho subterrâneo que abrange mais ou menos a mesmo área que os caminhos do Império do Sol. Há também a lenda que grande parte do ouro de Cusco foi escondido nestas cavernas, cuja entrada teria sido lacrada. As lendas sempre se referem a um caminho labiríntico, onde só os Incas, as Coyas e os principais sacerdotes saberiam se guiar. Mas nenhuma delas foi construída por mãos humanas, sendo cavernas naturais, legítimas. Portanto, estas cavernas podem ser encontradas em qualquer lugar. E há algumas cavernas que podem revelar a veracidade desta lenda.

Chaparri

Região: Junín.

Descrição: montanha onde se encontra o jardim onde os bruxos indígenas cultivam suas ervas mágicas, boas e más, sendo de seu exclusivo conhecimento distinguir umas das outras. Os bruxos dotaram o monte de um terrível dispositivo de defesa contra a intromissão de curiosos: fendas se abrem sob os pés dos intrusos, tragando-os, sejam homens ou animais. O bruxo que revelar a localização de Chaparri será caçado pelos outros.

Coyllorite

Região: Vale Sagrado.

Descrição: pequeno templo num glacial próximo a Cusco. Marcado por uma gigantesca cruz de flores, os viajantes vão até lá para pedir melhor sorte e perdão por seus pecados. No primeiro caso, o viajante recebe uma dádiva semelhante ao encanto Abençoar (que dura um mês). No segundo caso, a neve se cobre de fios de sangue que descem glacial abaixo. Se o arrependimento for verdadeiro, ele é abençoado. Caso não seja, ele sentirá uma insuportável dor nos olhos por 1d6 + 2 rodadas que o deixará cego por uma semana.

Desenhos de Nasca

Região: Deserto de Nasca.

Descrição: aos pés das cordilheiras, numa extensa área da planície desértica, repousam diversos desenhos e linhas retas ou circulares. Há pistas de áreas variáveis, de 4m a 1km, figuras de animais cujos traços alcançam de 15 a 300m. Quem caminha pelo deserto pode perceber as linhas mas não tem noção de suas formas, que só podem ser vistas do alto das colinas mais próximas. As linhas foram trabalhadas em sulcos. A superfície do deserto é marrom-avermelhado e repleta de pequenas pedras. Ao retirar a terra avermelhada da superfície, aflora um estrato de pedra amarelado. Estes sulcos amarelos, que garantem um bom contraste com o deserto, chegam a alcançar 30cm de profundidade. As pedras retiradas para a formação dos desenhos foram usadas na construção de um muro que varia entre 20cm e 1m de altura, demarcando a planície. Anterior aos incas, os desenhos caracterizam uma região mística, que pode trazer visões a quem passar a noite em seus limites. As figuras farão parte destes sonhos que são mais do que uma simples alucinação. Mensagens, visões do passado e contato com espíritos não serão incomuns. Porém, estes sonhos podem ter uma consistência muito próxima à realidade, seja qual for o seu conteúdo. Nesta região, a Visão astral não funciona. A Viagem astral custa o dobro do poder e é muita perigosa.

Fonte do Sol

Região: Ilha do Sol, no Titicaca.

Descrição: fonte de água santificada criada por Sumé (Tonapa). A água tem o poder de curar qualquer doença e expulsar qualquer espírito incorporado. Porém, só tem este poder na própria ilha.

Sua existência foi esquecida por todos e hoje permanece conhecida apenas pelos Uros. No passado, foi utilizada para regar as praças de Cusco. Apesar de não ter poder fora da ilha, era sacralizada e muito utilizada em rituais.

Lagoa de Santa Bárbara

Região: Chachapoya.

Descrição: lagoa que desaparece à vista dos viajantes. Segundo as lendas, o transbordar da lagoa será o anúncio do fim do mundo.

Mina Victoria

Região: Junín.

Descrição: mina próxima à cidade Cerro de Pasco onde é proibida a entrada de mulheres. Sempre que uma mulher entra acontece alguma desgraça: desabamentos, explosões e outras calamidades. Nenhuma pessoa, incluindo o chefe da mina, se atreve a permitir a entrada de uma mulher, nem mesmo disfarçada.

Montanha de Ayar Auca

Região: Vale Sagrado.

Descrição: montanha que transforma as pessoas que a tocarem em pedra. Ayar Auca, irmão de Manco Cápac, o primeiro Inca, voou até um monte onde julgava ser a terra prometida por Viracocha. Quando pousou, virou pedra. Uma bota de couro pode ser uma boa proteção, mas se alguém entrar em contato direto com o chão virará pedra. O encanto não pode ser removido.

Nota: caso um personagem vire pedra, o mestre do jogo sempre pode criar uma maneira bem difícil para quebrar o encanto.

Piscohuañuna

Região: Chachapoya.

Descrição: a montanha mata todas as aves que por lá se aventuram, incluindo feiticeiros metamorfoseados.

Tinajani

Região: Altiplano.

Descrição: também conhecido como Banho do Diabo. Fica a 4.100m, numa região de muralhas imponentes e pilastras imensas de arenito vermelho que tomam várias formas, algumas com mais de 100m de altura, se elevando em bases tão frágeis que parece impossível que se mantenham de pé. Visto de longe, parece uma cidade. De um poço profundo (300m) sai um rumor surdo, que o eco de mil paredes vai repetindo e aterrorizando os viajantes. No fundo, onde se encontra um lago subterrâneo, vários espíritos malignos foram aprisionados por uma poderosíssima Barreira astral.

Yahuar Ccocha

Região: Vale Sagrado.

Descrição: lago de sangue formado pelo sangue dos homens que se mataram pela beleza indiferente de uma sedutora princesa inca. O vento faz com que se escute os lamentos das almas suicidas, trazendo terríveis pesadelos aos viajantes.

Anúncios
Published in: on 12 de março de 2010 at 18:51  Comments (2)