ERVAS E POÇÕES

Alma de Gato

Região: Província do Guayrá.

Algumas tribos guaranis próximas ao rio Paraguay conhecem o segredo da Alma de Gato, a planta que nasce onde está enterrado o pássaro de mesmo nome. Uma folha dessa planta concede a quem a come o poder da invisibilidade. Mas não tornará invisíveis as roupas que veste. Tampouco terá seu usuário controle sobre a duração do encanto, que pode durar 1d6 horas.

Só adquire essa essência mágica as plantas que crescem naturalmente, de forma que são bem raras e pouco conhecidas.

Anuntuhue

Região: as ervas necessárias para sua elaboração são encontradas nas serras da Terra dos Araucos e na Ilha de Chiloé.

Poção venenosa composta por ervas e ossos humanos moídos. Seu efeito letal é fulminante, fazendo a pessoa secar até a morte.

Seu efeito será sentido em 1d6 rodadas após tomar a poção. A partir deste momento, o personagem estará morto em 1d6 + 4 rodadas. O uso imediato de 20 pontos de Cura poderá interromper o processo. Mais 10 pontos diários, ao longo de três dias, eliminará os efeitos da poção no corpo.

Ervas Chilotes

Região: Ilha de Chiloé.

Em Chiloé há muitas ervas medicinais e ervas próprias para determinados rituais. A ilha é repleta de plantas venenosas, seja por sua condição própria ou por dosagem.

Pillunchucao

Região: Terra dos Araucos, Ilha de Chiloé, províncias de Concepción, Chillán e Santiago.

Conhecida entre os Mapuches como erva dos ladrões. A poção (um simples chá feito com essa erva) tem um duplo efeito sobre quem a ingere: concede +3 pontos na Sorte e dá à pessoa uma autoconfiança exagerada no sucesso da empreitada, seja lá qual seja. Argumentos e chamadas à razão não adiantam. A pessoa tem convicção de que tudo dará certo e agirá sem medo. O efeito durará por toda a cena, desde que a poção não seja tomada muito tempo antes da ação.

Tabaco de Caraí Katú

Região: Chaco Boreal.

Antes de partir para Terra sem Mal, o poderoso Caraí Katú semeou plantas de tabaco que podem ser usadas pelos pajés em seus exercícios espirituais. A localização do pequeno plantio encontra-se desconhecida. Segundo a lenda que corre entre os Guaranis, seu fumo teria o poder de cura e sua fumaça, quando muito densa, seria capaz de abrir um portal para o plano astral.

Published in: on 22 de setembro de 2016 at 17:43  Deixe um comentário