CIDADES E LUGARES MÍTICOS*

DAS INSCRIÇÕES MISTERIOSAS

Por toda a Província de Santa Cruz foram encontradas inscrições inicialmente atribuídas aos nativos do continente. Não aos que hoje habitam a Terra de Santa Cruz, uma vez que desconheciam a escrita, mas a algum povo que outrora habitava estas terras e cujo conhecimento há se perdido. Contuso, alguns eclesiásticos estudiosos do antigo Império Romano do Oriente acreditam que povos do Levante teriam chegada a Santa Cruz muito antes dos povos ibéricos e deixado essas marcas.

Abaixo segue a lista dos sítios onde tais inscrições foram encontradas. Apesar da distância entre elas, acredita-se serem oriundas da mesma cultura, seja ela qual for.

Arruoca e Itaquatiá: ambas ficam em serras dos Campos dos Cataguás. Itaquatiá é o nome de uma serra próxima ao rio das Mortes, e as inscrições ficam em gruta. Arruoca fica um pouco mais ao sul, perto de uma cerro que, dizem, é capaz de arrancar uma escopeta das mãos do viajante.

Lapa Vermelha: também na região mineira, porém mais ao norte, já na região dos Akroás. Há um penhasco próximo de uma lagoa onde há quatro grutas, algumas delas com as tais inscrições. Suspeita-se que as águas da lagoa que serve de referência possui algum tipo de poder curativo.

Pedras das Tartarugas: a oeste da vila da Ponte de Sorocaba, ao largo do Peabiru que leva até La Piñería, há um lugar conhecido pelos viajantes como Pedras das Tartarugas, onde haveria tais inscrições.

Pedra de Paraitinga: próximo ao rio Paraitinga, há uma caverna em local elevado cujas inscrições se assemelham ao Hebreu arcaico, conforme o relato de quem a encontrou. O local, entretanto, jamais foi revisitado.

DA TERRA SEM MAL

Ivy Marã-e’y é o nome em guarani da Terra Sem Mal. Segundo a crença dos Guaranis, nesta terra não há doença, fome ou guerras. Nela, o guarani se despe de sua mortalidade e se transforma em um homem-deus, capaz de viver sem trabalhar, comer sem ter de caçar, livre da dor e do sofrimento. Permanecerá eternamente jovem e feliz em uma terra esplêndida.

Ao contrário do Paraíso bíblico, é possível alcançar a Terra Sem Mal sem precisar morrer. Isso só é possível àquele que atingir a perfeição em vida. E é possível atingi-la em vida porque ela pode ser encontrada e alcançada.

Os Guaranis procuram viver suas vidas para se tornarem aptos a alcançar a Terra Sem Mal ao menos depois de sua morte. Mas há muitos que a buscam em vida. Isso requer não só muitos sacrifícios e bravura, como também uma longa peregrinação a um lugar onde ninguém sabe ao certo onde fica. Resiste a crença de que ela fica a oeste. Por isso os Guaranis, no passado, chegaram aos contrafortes andinos e alcançaram até mesmo as cidades douradas do Império do Sol.

A localização da Terra Sem Mal no mundo físico permanece um mistério, um segredo, se é que ela realmente existe. Ou, se algum dia existiu, ainda permanece por lá. Porém, no Plano Astral, não dúvidas sobre sua existência, e também a alma necessitará de uma árdua peregrinação para alcançá-la.

Segundo a explicação do caraí dos Tavyterã, a Terra Sem Mal fica no terceiro nível do Plano Astral. O primeiro nível seria um espelho do nosso mundo, por onde circulam os espíritos que interagem com o plano físico. Por isso, achar a Terra Sem Mal neste nível seria tarefa tão árdua quanto procurá-la no plano físico. Em viagem astral, dificilmente alguém seria capaz de ir além do primeiro nível.

Para chegar ao segundo nível, seria necessário atravessar um portal, que não é apenas um, mas vários. Este nível é um lugar mais sombrio, e não guarda tanta relação com o nosso mundo real, ainda que muitos elementos geográficos estejam presentes nele. Nele habitam espíritos que lograram sair do primeiro nível, mas que, por algum motivo, foram impedidos de ingressar no terceiro nível.

Esse terceiro nível também seria acessível por portais, todos muito bem guardados. Ele possui uma lógica completamente diversa da nossa realidade. Nele, a Terra Sem Mal certamente existe. Por não ter relação com o mundo físico, é impossível correlacionar a sua localização com algum lugar em nosso mundo. O portal que dá acesso à Terra Sem Mal é muito bem guardado, e só será permitido passar aquele que for merecedor. Por isso os Guaranis tentam se mostrar valorosos por toda a vida.

A Terra Sem Mal seria marcada por uma extensa floresta, onde tudo necessário à vida é abundante. No centro da floresta ergue-se uma esplendorosa cidade, Mbaeverá-Guaçu.

Mbaeverá-Guaçu é a mítica e sagrada cidade dos Guaranis, que eles acreditam permanecer oculta e perdida em algum ponto da selva. É nela que os nativos esperam chegar em vida ou depois da morte digna. Ela abriga todos aqueles que não desejam viver na floresta. Não há problema de habitação, pois ela cresce ou encolhe conforme a demanda. Não existe luxo, as casas são simples, mas com todo o conforto e infraestrutura necessária para viver bem. A suntuosidade está nas áreas comuns, nas praças e no templo, Mbocabog.

Mbocabog é o grande templo no centro de Mbaeverá-Guaçu, que pode ser avistado desde o portal. Se os Guaranis, em vida, não são adoradores e não cultuam seus criadores, na Terra Sem Mal seria um pouco distinto. Em Mbocabog eles podem se reunir com Karaí, Yakairá, Nhanderú, Tupã ou mesmo Nhamandú, o que é mais raro.

Maraney são as sacerdotisas que cuidam do templo de Mbocabog. Elas têm o poder de entrar nos sonhos e conhecer os desejos e os temores das pessoas.

Poromoñangara é o zeloso guardião dos tesouros acumulados pelos deuses em Mbocabog. À primeira vista, Mbaeverá-Guaçu é uma cidade livre de todo mal. Isso ocorre graças à diligência de Poromoñangara. Ainda que nenhum guarani seja capaz de profanar o templo, o plano astral parece ser feito não só de diversos níveis, mas de diversas terras. Sempre haverá o risco de invasões, particularmente dos Angües, as almas impedidas de adentrar a Terra Sem Mal. Poromoñangara possui todo o conhecimento reunido dos pajés, com um poder imensurável, infalível. Tem por companheiro nessa vigilância Teyu-Yaguá, o lagarto-tigre.

Teyu-Yaguá é a deidade que guarda o portal que conduz à Terra Sem Mal. É um lagarto enorme com traços de onça, cuja força é invencível. Trata-se, na verdade, de um duplo portal. Um que leva do segundo nível para a Terra Sem Mal, e outro localizado no mundo físico, que pode conduzir diretamente à Terra Sem Mal.

Yaguá Ovy é um cão azul que habita a Terra Sem Mal e auxilia Teyu-Yaguá e Poromoñangara no patrulhamento da região. Seu objetivo é alertá-los de qualquer ameaça de invasão.

A Caverna da Morte

Nenhum Tavyterã, muito menos o seu caraí, revelaria a localização do portal que possibilita alcançar a Terra Sem Mal diretamente do nosso mundo. Afinal, esse é um segredo que nenhum guarani deveria deter. Mas parece que a missão dos Tavyterã é justamente guardar esse portal.

O segredo foi revelado por um aventureiro cujo grupo teria encontrado tal portal, localizado no fundo de uma caverna inacessível. Esta caverna ficaria próxima ao Forte Albuquerque, escondida na floresta, cuja localização e função só seriam conhecidas pelo conselho de anciões da tribo, presidido pelo caraí.

Uma das razões da aliança entre Lusitanos e os Tavyterã, que permitiu a construção do forte, seria auxiliar na proteção da caverna, pois, sem saber, os militares ajudam a manter potenciais inimigos da tribo à distância.

Os guerreiros tavyterã patrulham a região seguindo as ordens do conselho sem questionar. Eles sabem que devem proteger a caverna a qualquer custo, mas não sabem o que ela esconde. Qualquer um que a procure ou tente entrar nela deverá ser levado primeiramente a um dos pajés. Dependendo do que for apurado, será conduzido ao conselho ou liberado a seguir viagem.

O fundo da caverna é protegido por uma ilusão, que faz parecer que a caverna chegou ao fim. Além dessa parede ilusória, entretanto, desce-se por uma trilha que leva a um imenso desfiladeiro subterrâneo. No fundo desse profundo desfiladeiro, há um rio de águas profundas onde habita o Teyu-Yaguá.

O desfiladeiro é povoado por diversos espíritos cuja função parece ser encaminhar as almas que ali chegam. Quais seriam esses destinos é um tanto incerto, mas apenas os merecedores serão direcionados ao portal que leva à Terra Sem Mal.

Os Angües buscam, insistentemente, invadir a Terra Sem Mal tanto a partir do segundo nível quanto por meio deste portal no mundo físico.

O aventureiro não explica muito bem como foi parar lá ou ficou sabendo desses detalhes, mas seus olhos revelam tanto maravilhamento quanto vergonha.

*Extraído das crônicas de Padre Maurício.

Anúncios
Published in: on 10 de abril de 2016 at 4:28  Comments (1)